Sobre Doação de Órgãos e Tecidos

No último 27 de setembro foi comemorado o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos. A data foi escolhida por ser também a celebração de São Cosme e São Damião, os santos gêmeos médicos, considerados padroeiros da medicina e dos transplantes.Hoje, no Brasil, para ser doador não é necessário registrar em documento. Basta comunicar à sua família o desejo de ser doador, pois somente ela poderá autorizar a doação, além de você mesmo.

Qualquer pessoa que não possua doenças infecciosas ativas ou câncer pode ser doadora. Em vida, é possível doar um dos rins, parte do fígado, parte da medula óssea e parte dos pulmões para parentes de até quarto grau e cônjuges, sem necessitar de autorização judicial, e para não parentes, somente com autorização judicial. Se atestada morte encefálica, geralmente por traumatismo craniano ou AVC (derrame cerebral), pode-se doar o coração, pulmões, fígado, pâncreas, intestino, rins, córneas, veias, ossos e tendões, através de procedimento realizado em centro cirúrgico como qualquer outra cirurgia.

Caso não exista alguém específico para quem a família ou a pessoa deseje doar seus órgãos, estes vão para pacientes que necessitam de um transplante e estão aguardando em lista única, definida pela Central de Transplantes da Secretaria de Saúde de cada Estado e controlada pelo Ministério Público.

A doação de órgãos e tecidos é um ato de cidadania, além de uma expressão singular de amor ao próximo. Seja doador, faça a sua parte!